Safári | Kruger area

Por Rachel Duarte

Ir à África e não ir à um safári pode ser considerado um pecado mortal, afinal não é todo dia que se faz uma viagem dessas!!

Sendo assim, vamos à região do Kruger - o maior parque nacional da África do Sul com área de 2 milhões de hectares. 

A melhor época para ir é entre maio e setembro. Nesse período as árvores estão secas e o mato mais rasteiro e como quase não chove nessa época, os animais vão até os rios para beberem água, o que facilita a visualização do animais. Infelizmente não fomos no inverno, mas no verão - com direito a sol, chuva, raios e emoções! 

São três aeroportos que servem à região do Kruger: Hoedspruit na parte central, Phalaborwa ao norte e Neldspruit ao sul.

Para chegarmos até ao Kruger, saímos de Cape Town super cedo, às 6h da manhã, em direção a Johannesburg. Após duas horinhas de voo e duas horinhas esperando no aeroporto, pegamos outro voo de uma hora para Hoedspruit.

A aventura já começa no avião bimotor que leva até ao aeroporto: como balança pra decolar! E faz um super barulho. Mas depois de um tempo, ele estabiliza no ar e o sustinho passa, e depois volta a sacudir pra pousar! Nossa mãe!!! 

E o aeroporto? É minúsculo, sem esteira ou alfândega. Mas a pista é no meio do mato!!! Um máximo ;)) Minha busca incessante por ver um leão começou aqui!!!  

kruger-park-aeroporto-como-chegar-africa-do-sul-safari

Para irmos até o hotel, um Toyota Land Cruise 4x4 sem teto - o mesmo dos safáris - nos leva rápido pelo caminho de terra (nos fazendo comer poeira, meu cabelo amou!), mas diminuindo a velocidade quando um bichinho aparecia no meio do caminho. Sim, no caminho já tinha umas girafas para alegria da galera ;)

No Kruger há várias reservas privadas e uma delas é o Kapama, a que ficamos hospedados. A reserva é tipo um complexo com, digamos, quatro opções de alojamentos (logde). Nossa opção foi o River Lodge, super excelente e colhedor: quarto grande com uma cama super king size. Aqui o esquema era de pensão completa (bebidas pagas a parte), acredito que todas as reservas sejam assim, afinal não existe a opção de você sair no meio do mato catar um restaurante pra jantar ou almoçar!

Assim que o ranger (guia que dirige o 4x4) nos deixou na porta do alojamento, fomos recepcionados com toalhas úmidas e frias - uma delícia após tanta poeira - e levados até a recepção para que tudo fosse explicado, como horários dos safáris e refeições, passeios extras, o que é e o que não é permitido, entre outras coisas. Caso você tenha alguma restrição alimentar (eu!!!), a chef conversa com você e providencia refeições diferenciadas, caso seja necessário.

DIA 1

Após ter acordado super cedo para viajar, estava morta de sono. Juro que queria chegar no quarto e dormir e roncar até dizer chegar, mas não dava! Só me restava ir tomar banho e almoçar, pois pouco depois seria o primeiro safári.

Só pra vocês terem uma noção dos horários, aqui vai uma tabela de horários entregue pelo alojamento:

05:00 _________ ligação para acordar

05:30 _________ café e chá matinal

06:00 - 09:00 ___ safári da manhã

08:00 - 10:00 ___ café da manhâ

13:00 - 15:00 ___ almoço

16:00 _________ café e chá da tarde

16:30 - 19:30 ___ safári da tarde

20:00 _________ jantar

Esses horários mudam no inverno, pelo menos os horários dos safáris que são meia hora mais tarde. Não sei se isso se aplica a todas as reservas.

Na verdade o safári é chamado de game, então vamos ao jogo?

Depois de uma pausa após o almoço, montamos no super 4x4 e foi dada a largada à aventura!!! 

kruger-park-kapama-game-drive-safari-africa-do-sul

Como dá pra ver na foto aí de cima, um dos rangers vai nessa cadeirinha na frente do carro, que pode ser meio tenso em certos momentos (mais pra frente vai ter tensão!).

Eu sempre me perguntei se os animais  não ficavam incomodados com os carros e as pessoas, mas na verdades eles não se importam com a nossa presença!

Começando o jogo de maneira singela, nossos primeiros animais foram umas galinhas e tartarugas.

safari-game-drive-kapama-kruger-park-galinhas

Os animais que todos querem ver pertencem ao grupo dos Big Five, são eles: leão, leopardo, elefante, búfalo e rinoceronte. Esses mamíferos são chamados assim não pelo tamanho que eles têm, mas por serem os animais mais difíceis e perigosos de serem caçados a pé. Via caçar um desses animais e erra o alvo pra ver o que te acontece (o que eu acho bem feito, já que não tem motivos pra caçar um animal). Esses animais estão representados nas notas de Rand (moeda monetária da África do Sul) de 10, 20, 50, 100 e 200.

O primeiro dos Big que vimos foi o búfalo, que adora ficar na água! Eu também adoraria ficar na água com calor que tava fazendo nesse dia!!

como fazer um safaria na africa

Logo após ver as belezuras de chifre duplo, quem deu ar da graça foi outro Big chifrudo: o rinoceronte! Que animal lindo e extremamente musculoso. Eu acho tão bonitinha essa dobrinha na pata, como se fosse o ombro, sabe?

 

Era uma família, pai, mãe e filho, sendo a fêmea maior que o macho. 

como fazer um safaria na africa

Lembra sobre o momento de tensão que escrevi mais acima? Aqui vai um: algum tempo depois desse vídeo, um carro veio no sentido oposto ao nosso e ficou alguns minutos esperando a fêmea sair da estrada para poder passar. Após uns 5 minutos de espera, o motorista cansou de ficar ali parado e resolveu tentar passar. Minha geeente, a fêmea se revoltou e ameaçou ir pra cima!! Que medo! Sorte que nosso ranger era sagaz e fez um barulho estranho com a boca, ligou o carro e foi em direção ao rino, o que fez com que o bicho recuasse e não acabasse com o passeio de ninguém. Ufa!! 

Passado o susto, continuamos a aventura. Esse dia estava extremamente quente, então haja protetor solar pra não torrar. Fora isso, tem muitos muitos muitos mosquitos e outros bichos voadores que batem na sua testa enquanto o carro anda pela estrada de terra, passa bastante repelente. Ou seja, besunta bem a pele antes de ir pro game.

A busca incessante pelo leão continuava mas enquanto o rei da selva não dava as caras, encontramos umas leoas tirando uma soneca. Olha que coisa mais fofa esse filhote!  

como fazer um safaria na africa

Pouco após ver as leoas e de muitos cliques fotográficos, fizemos uma parada para um lanche no meio da selva. Sim, no meio da selva! O ranger pára o carro, monta uma mesinha com uns petiscos e umas bebidinhas e você faz um boquinha se arriscando virar boquinha alheia! Mas é  óoobvio que ele sabe onde é um local ideal para poder estacionar sem risco de ninguém virar lanchinho de animais! 

como fazer um safaria na africa

Essa foto aí acima é mais pra ilustrar como são algumas das árvores no Kruger: cheias de espinhos!! Olha essa árvore atrás de mim, não tem uma folha, mas tem umas que têm junto com os espinhos. Tem momentos que o ranger vai entrando no meio do matagal ou simplesmente tem galhos grandes na estrada de terra e a única coisa que podemos fazer é abaixar completamente o corpo pra não sair arranhado. 

Sol já posto e lua dando as cara, tá na hora de voltar pro alojamento antes que fique muito escuro. Afinal, não dá pra ver direito os animais no escuro e mesmo que acenda os faróis e lanterna, tem bicho que não gosta e se sente encomodado, como o guepardo aí no vídeo abaixo: 

De volta ao alojamento, nos resta tomar um banho, ir jantar - com direito a música local e brasileiro dançando (sempre a gente!) - e cair no sono profundo com muitos roncos! 


DIA 2

5 horas da manhã, telefone toca e alguém na linha diz: "Bom dia, em uma hora teremos o primeiro safári do dia".

Ok, então vamos nessa! 

Hoje os primeiros animais que deram as caras pra gente foram os saltitantes impalas, um tipo de antílope - que é a espécie mais ambundante da região. Uma das características são duas linhas pretas na bunda.

Ah, e não é o Bambi!

Outro animal bastante visto são as girafas. Lindas! E sabe o que é o mais legal? Elas são super posudas, ficam olhando querendo sair bonitas nas fotos!

safari-game-drive-kapama-kruger-park-girafa

Ainda vimos uma leoa tentando atacar uma girafa, mas o matagal impediu de ver como foi. Sabe a girafa que aparece com a coxa machucada no vídeo aqui encima? Foi com ela! Ainda bem que ela saiu ilesa ;)

Olha aí a faminta leoa:

Leoa - como fazer um safari

Mais um momento tensão, quer dizer, dois! O primeiro foi a leoa tentando caçar a girafa e o segundo foi essa felina passar super perto do nosso carro e ficar parada muuuuito próxima, de frente, pro ranger da cadeirinha! Todos no carro ficaram tensos com isso. Dá uma olhada:

Continuando vimos mais girafas, impalas e búfalos até avistarmos umas bundas listradas na horizontais. Eram as elegantes zebras! Tão fashion!! 

como-fazer-um-safari-game-drive-kapama-kruger-park-zebras

Fizemos a pausa para o cafézinho perto de onde as zebras estavam. 

Eu estava de chinelo, e outras pessoas também estavam assim. Eu só usei o tênis uma única vez, não vi necessidade de usar nas outras vezes. Minha vontade era de estar com um short, bermuda, saia, qualquer coisa mais fresca que a calça que estava usando. 

Depois ainda vimos mais alguns dos animais que já havíamos visto e voltamos ao alojamento. Tomamos um excelente café da manhã e partimos para o Hoedspruit Endrangered Species Centre as 11h. Como o nome diz, é um local que tem um trabalho de preservar as espécies ameaçadas. Fica uns 15 minutos de carro do alojamento. Essa atividade é considerada extra e paga a parte (R485 = R$105 adulto / R300 = R$65 criança).

Chegando lá é colocado um vídeo explicativo sobre o trabalho feito, mas infelizmente poucas pessoas estavam prestando atenção, era muito sono e muitos estavam dormindo (me inclui aí). 

Algumas espécies ameaçadas que vimos:

Muito engraçada a dancinha do camaleão ne?

Depois vimos esse cão selvagem africano - também conhecido como mabeco - que é um dos animais mais perigosos do mundo, cerca de 80% dos seus ataques são bem sucedidos, enquanto o leão tem apenas 10%. Quando a vítima é alcançada, um cão mode com força o focinho do pobre coitado, enquanto outros atacam o estômago matando a presa em poucos segundos. Eles comem a presa em poucos minutos para evitar que leões e hienas roubem a refeição.


Alguns abutres, que tinham um "restaurante" próprio! Muito fedido.

O restaurante
O restaurante

E agora a estrela principal, os guepardos:


Esse passeio dura um pouco mais de uma hora. Não sei precisar ao certo.

De volta ao alojamento tomamos banho e almoçamos, prontos para o jogo da tarde. Nesse jogo nosso objetivo era achar o leopardo e o leão para completar os Big Five. Então vamos nessa!

Começamos vendo umas girafas, impalas, búfalos (sim, esses animais são vistos toda hora) e o primeiro diferente a surgir foi o gnu. Ele é super engraçado, é um antílope também, mas parece um cavalo desengonçado. Acho muito engraçado quando ele corre. Na mesma área também tinham uns javalis e zebras.

Gnus pastando
Gnus pastando
Mamãe gnu e seus filhotes
Mamãe gnu e seus filhotes

Javali
Javali

Nesse dia o tempo foi meio esquisito: de manhã um calor fenomenal, a tarde começou a fechar... e querer chover. Pouco tempo depois dos gnus começou a cair uns pinguinhos, o que não ajuda em nada no jogo, já que os bichos ficam com abundância de água em qualquer lugar e não precisam ir até o rio para matar a cede. 

Rodamos em vão por um bom tempo, procurando, procurando. Até que avistamos uns elefantes. Ahhhhnnnn os elefantes são tão lindos!!! 

Família de elefantes
Família de elefantes

Ainda quereríamos ver mais elefantes, mas os pingos de chuvas começaram a engrossar. Então nosso ranger parou o carro e nos entregou algumas capas de chuva para nos proteger. Enquanto nos arrumavámos, apareceu um elefante vindo no sentido do nosso carro, momento tensão 3. Sentamos e nos afastamos um pouco, mas continuamos observando.

Como essa chuva tínhamos duas opçoes: voltar pro alojamento ou continuar a busca pelo leão e leopardo. Resolvemos continuar!!! Lóoogico ;) - ainda bem que estávamos usando capas de chuva, porque tava chovendo a beça e fazendo frio.

O Kruger tem áreas super arborizadas com mata fechada e pouca visibilidade, e outras partes que são campos totalmente abertos facilitando a visualização de animais, como essa do elefante. Fomos para uma área mega maior, aberta, procurar os dois Big que faltavam.

Rodamos, rodamos, rodamos por muito tempo, e nada dos felinos... 

Pra compensar vimos uns waterbucks, a tradução em português desse bichinho seria cob-untuoso, coisa que eu nunca ouvi falar! É da família dos kudus, espécies de antílopes.

Waterbucks fêmeas
Waterbucks fêmeas

Eles fizeram uma pequena apresentação pra gente:

Pena que a apresentação durou pouco :(

Daí continuamos nossa busca incessante, mas a chuva apertou mais ainda, começou a escurecer e o pior, muitos raios!! Dizem que os carros são lugares super seguros para ficar quando têm raios, mas em carros fechados. Nosso carro era aberto, não tinha teto (♪ não tinha nada... ♪), super perigoso. Então resolvemos voltar, logo, pro alojamento.


DIA 3

[ALERTA ARREPENDIMENTO]

São poucas coisas nessa vida nas quais eu me arrependo de ter feito e essa aqui é uma delas! Quando fiz o passeio sobre o elefante, eu não tinha a menor consciência de todas as situações absurdas que acontecem para que os animais fiquem domesticados ao ponto de carregarem pessoas em suas costas. 

Eu poderia apagar essa parte do post e as fotos, mas prefiro ser honesta e mostrar que cometemos erros mas que podemos mudar a partir do momento em que nos informamos mais e refletimos sobre. 

Fiz, errei, me arrependi e não faço mais. Tenho vergonha de ter feito!

A Fabi Rosa do blog Mundo, meu quintal também passou pela experiência de montar em um elefante e se arrepende da experiência como eu. Leia sobre o depoimento dela.

Nosso último dia no safári :(( 

E pra fechar com chave de ouro nosso último game foi na corcunda do elefante!!! Gente, que lindo, que fofo, que emocionante!!!! Esse passeio é feito no lugar de um game drive (safári em carro) e confesso que fiquei super na dúvida se faria, pois queria porque queria ver os felinos. Mas depois pensei "quando que vou ter a oportunidade de montar em um elefante novamente?". Sendo assim, vamos aos elefantinhos!!

Essa também é considerada um atividade extra, ou seja, paga a parte R1953 = R$422 - esse só tem um valor, tanto para adultos como crianças. 

Aqui você também é levado por um ranger até a área dos elefantes. É tipo um haras, só que de elefantes, com baias enormes. Do alojamento deve ser uns 20/25 min de distância. 

Chegando ao local, estão todos os elefantes um ao lado do outro. Um dos criadores conta as histórias de cada elefante, nos informa como eles são criados, tratados e adestrados. Depois vem a hora de montá-los! Há tipo um deck suspenso para poder subir no bicho tranquilamente. 

Pronta pra ir!
Pronta pra ir!

Arrumando
Arrumando
A mais feliz :)
A mais feliz :)

Depois desse passeio incrível, voltamos ao alojamento e nos arrumamos para ir embora. 

Agora rumo à Mauritius!! 


INFOS

- Moeda: Rand Africano 

 

- Fuso horário: 5 horas a mais que Brasília. 

 

- Brasileiros não necessitam de visto até 90 dias (turismo e/ou negócios), basta apenas apresentar o passaporte com validade de até 1 (um) mês (da data de retorno ao Brasil), com pelo menos 1 (uma) página em branco

 

- Necessário apresentar o CIV (Certificado Internacional da Vacina) contra febre amarela, que deve ser tomada pelo menos 10 dias antes do embarque

 

- Empresa que fechamos o pacote: Adventure Club (nossa agente foi a Natasha, super mega fofa e atenciosa)

 

- Hotel Kapama Game Lodge

Compartilha, deixa a notícia viajar por aí, vai!



Dá uma olhadinha aqui ó:

Paris - hospedagem

Mauritius

Cape Town


Comments: 2 (Discussion closed)
  • #1

    Lugar Certo Imóveis (Saturday, 12 April 2014 14:48)

    Belíssimas Imagens, Show da Natureza !

    http://www.lugarcertoimoveis.com.br

  • #2

    Fernanda Scafi (Monday, 25 August 2014 11:57)

    Oi Rachel, acabei de ler sua entrevista pra ABBV! Tb fiz safári na África do Sul e acabei de postar esses dias: http://taindopraonde.blogspot.com.br/search/label/saf%C3%A1ri. Adorei as suas fotos e vídeos!